Sobre nós: 

O que é o

MH Hub?

O Menstrual Health Hub é um negócio sem fins lucrativos de saúde feminina e de impacto social
O Menstrual Health Hub gUG é uma organização global de saúde feminina sem fins lucrativos registrada na Alemanha, que busca construir de maneira compartilhada o conhecimento sobre saúde menstrual, por meio de promoção de ecosystem-building e advocacy. MH Hub UG, é uma organização de impacto social que busca promover soluções baseadas nos direitos humanos e nas necessidades das mulheres.  

Uma de nossas ações é realizar um mapeamento global de organizações, empresas e projetos que trabalham na promoção da saúde menstrual, e atualmente estamos em busca de expandir a nossa atuação na América Latina, com um enfoque no território brasileiro. 

Nossa Visão

Nós visualizamos um mundo onde a saúde menstrual é uma prioridade para promover a igualdade de gênero. Menstruação não deveria ser a razão pelo qual, meninas e mulheres, e pessoas que menstruam não possam prosperar e se desenvolver.

Nossa Missão


Inclusiva e imparcial, nossa missão é melhorar a comunicação, conectividade e colaboração através de uma plataforma global que centralize pesquisa, educação, política e inovação relacionadas a saúde feminina.

 

Nossa Filosofia 


 

As soluções para superar os desafios em saúde menstrual são únicas, assim como, as pessoas que os procuram.


Nós reconhecemos assim, que há diversas maneiras para melhorar a saúde menstrual, e reconhecemos as contribuições já feitas nesta área por diversos profissionais em suas mais variadas frentes. Desta forma, o nosso foco é contribuir para ampliar ainda mais as vozes desta robusta e rápida crescente comunidade global.

 

Nossa Abordagem


Conectar, construir e mobilizar uma comunidade de engajada e bem equipada de atores em saúde menstrual

Fortalecer a coordenação e união do trabalho sob a bandeira da saúde menstrual e facilitar a colaboração entre os diferentes setores

Criar uma base de evidências de informação em saúde menstrual através de um repositório focado em pesquisa, educação, políticas e inovações

Construir um ambiente facilitador que defenda os compromissos nacionais, regionais e internacionais com a saúde menstrual como uma prioridade no progresso da igualdade de gênero

Pilares do Engajamento


 

Educação e Aprendizagem

Inovação

Política

Pesquisa

 Porque focar na

América Latina?


Meninas e Mulheres na América Latina nascem, vivem e crescem em circunstâncias bastante particulares. Apesar dos avanços significativos dos últimos anos, a região ainda é marcada por grandes desafios no combate à pobreza e a violência, a diminuição da desigualdade social, os altos índices de gravidez na adolescência e casamento infantil. A Guatemala, por exemplo, registrou em 2010 que de 1 a cada 10 meninas entre 15 e 19 anos já haviam engravidado. Outro estudo realizado em 15 países da região, mostrou que 25% das adolescentes entre 20 e 24 anos se casou antes de completarem 18 anos de idade. Dentro deste cenário, a América Latina é uma região com um dos índices mais baixos na promoção da igualdade de gênero. Com o terceiro maior índice de fertilidade na adolescência no mundo e altos índices de casamento infantil, países como o Brasil, por exemplo, ocupam o 102º lugar no ranking mundial de igualdade de gênero, apenas duas posições a frente do frágil estado do Haiti (STC, 2016).

O impacto deste cenário na vida de meninas, tem implicações significativas a longo prazo, pois com casamento precoce e as altas taxas de fertilidade entre as jovens diminui-se os anos de escolarização, a frequência escolar e horas de trabalho, o que por consequência atua como perpetuador do ciclo da pobreza, impedindo não apenas a mãe, mas todo o seu círculo familiar de adquirir recursos importantes para a sua ascensão social. Todos estes desafios ilustram a urgência da América Latina em implementar estratégias de saúde sexual e reprodutiva que considerem uma perspectiva de gênero, para garantir de uma maneira efetiva o exercício dos direitos de meninas e mulheres o seu desenvolvimento integral e autônomo. No entanto, estudos recentes têm mostrado que as políticas públicas em saúde reprodutiva têm focado em intervenções de planejamento familiar, doenças sexualmente transmissíveis e programas de educação sexual, sem abordar a menstruação como uma importante porta de entrada para a promoção de uma boa saúde sexual e reprodutiva.

Um crescente número de estudos tem mostrado, que educar sobre menstruação, não apenas auxilia a desmistificar tabus em torno do tema, como também ajuda quem menstrua a ter mais confiança sobre o próprio corpo e a navegar a sua saúde reprodutiva com maior segurança e dignidade. No entanto, muitos dos estudos desenvolvidos nesta área têm sido desenvolvidos em países africanos e asiáticos, e poucos na região da América Latina. Buscando contribuir para maior visibilidade de projetos nesta parte do globo, nós do Menstrual Health Hubs resolvemos concentrar esforços para mapear e desenvolver estratégias de promoção da saúde menstrual, reunindo ativistas, instituições e intervenções ao redor da América Latina que estejam trabalhando na promoção da saúde menstrual.

 

Para conhecer melhor o nosso trabalho siga a nossa página no Facebook

Entre em contato!

Ursula Maschette, 

MH Hub – Latin America Coordinator